Aviso Importante

Responsável por proteger as mulheres vítimas de violência doméstica, de gênero ou familiar, além de estimular denúncias, a Patrulha Maria da Penha será homenageada em sessão solene pela Câmara de Vereadores de São Leopoldo. Instalada no município em 2014, desde abril desde ano passou a atender também os municípios de Portão e Capela de Santana. O evento acontecerá na quarta-feira, 3 de julho, às 19 horas, no plenário da casa legislativa.

Segundo Júlio Galperim (PSD), vereador proponente da sessão, “infelizmente são rotineiros os casos de violência a mulheres, e é necessário sempre valorizar as pessoas que lutam para combater esse mal em nossa sociedade”. Ainda conforme Galperim, os profissionais que integram a Patrulha Maria da Penha trabalham na prevenção, dando segurança e maior tranquilidade para as mulheres vítimas de algum tipo de violência.

Sob a responsabilidade do 25º Batalhão de Polícia Militar, a Patrulha Maria da Penha é coordenada pela capitã Bibiana Beck Menezes. Nos últimos doze meses (de maio de 2018 a maio deste ano) foram 790 vítimas cadastradas em São Leopoldo, 1555 visitas e 1683 medidas protetivas de urgência ativas. Após ampliação no número de viaturas e policiais treinados para este tipo de atendimento, desde abril a patrulha passou a atender Portão e Capela de Santana, que registraram 18 vítimas cadastradas em cada município.

No Brasil, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ao menos 221.238 mulheres foram vítimas de violência doméstica só ano de 2017, sendo que 1.133 casos foram de feminicídios, enquanto os estupros passaram da marca de 60 mil. Hoje, mais de um milhão de processos relativos à violência doméstica tramitam na Justiça.

A lei Maria da Penha vai além dos casos de agressão física, e também identifica como casos de violência doméstica:

- Sofrimento psicológico, como o isolamento da mulher, o constrangimento, a vigilância constante e o insulto;

- Violência sexual, como manter uma relação sexual não desejada por meio da força, forçar o casamento ou impedir que a mulher use de métodos contraceptivos;

- Violência patrimonial, entendido como a destruição ou subtração dos seus bens, recursos econômicos ou documentos pessoais.

Onde buscar ajuda em São Leopoldo

Centro de referência de Atendimento à Mulher Jacobina – 3592.2184

Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) - 3592.1013 ou 3590.3737

Juizado da Violência Doméstica – 3590.1299

Patrulha Maria da Penha – 190

Central de Atendimento à Mulher – 180

Guarda Civil Municipal – 153

Notícias - Ver. Júlio Galperim - Paulo Henque Machado ()

Sistema Legis

Fale Conosco

Rua Independência, 66 - Centro - CEP 93010-001
São Leopoldo / RS
Telefone: (51) 3579-9200
Horário: segunda à sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h.