No início da sessão, o vereador lançou a pergunta: A saúde é emergência ou a gestão do Vanazzi na saúde é que está na emergência?

Na sessão plenária da terça-feira (11), o vereador Marcelo Buz expôs dados e apresentou algumas questões a respeito da situação de Emergência na Saúde de São Leopoldo, referente ao decreto do prefeito de nº 9170/2018, de “Emergência no Atendimento Hospitalar e nas Unidades de Saúde do Sistema Único de Saúde no Município de São Leopoldo”, assinado neste mês de dezembro pelo poder executivo. No qual o prefeito alega que criou o decreto por causa da restrição em atendimentos, atraso na folha de pagamento de servidores e falta de repasses do governo do Estado.

De acordo com Marcelo, este decreto é um fato midiático, motivado por questões políticas do PT, e o caos na saúde é culpa da incompetência gerencial do prefeito em São Leopoldo. “Mas o que me chama mais a atenção é a motivação para a criação deste decreto: o prefeito alega atraso e falta de repasse de 5% (em torno de 8 milhões de reais) de recursos para a saúde, oriundos do governo estadual. Acredito que o atraso deste recurso não é justificativa para criar um decreto de emergência na saúde, sendo que a saúde de São Leopoldo consome mais do que este percentual”, destacou Buz.

O parlamentar reforçou a importância da instauração de uma CPI da saúde, algo que já vem batalhando há meses na Câmara Municipal, a solicitação conta apenas com a assinatura dele como proponente e do Vereador Brasil Oliveira (PSB).

Curta a fanpage, clique aqui!
 

 

Notícias - Bancada DEM - Daiane Mendes (MTB 14582/RS)

Sistema Legis

Fale Conosco

Rua Independência, 66 - Centro - CEP 93010-001
São Leopoldo / RS
Telefone: (51) 3579-9200
Horário: segunda à sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h.